CONTRADIÇÕES * Contradictions

GELEIRA 2
Desejei muito e logo me arrependi,
Prometi aos prantos, depois esqueci.

Só desejei desejos.

Tamanha era a dor,  que ninguém acreditava,
Era tanto amor,  que não servia pra nada.

Sentimentos ninguém vê.

Flagrei-me cruel, num pensamento malvado,
Fui eu sim, mas preferi o anonimato.

Faces desumanas que tenho.

Ouvi  confidências, mas nunca jurei segredar,
Sonhei com o mundo,  e não arrisquei viajar.

Contradições que me atropelam.

Após o tombo,  disfarço rindo de mim,
Dei-te o que sou,  sabendo que era o fim.

Ana Teixeira – Outubro, 2017

 

 


6 comentários sobre “CONTRADIÇÕES * Contradictions

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s