QUARENTA GRAUS DE SERTÃO-Forty degrees of dryness

Caminhos do sertão da Paraíba –
Setembro, 2016:
Patos, Malta, Pombal, Condado, São Bentinho, Aparecida, Sousa… … Mais QUARENTA GRAUS DE SERTÃO-Forty degrees of dryness

Anúncios

MULHER E VIDA-Woman and life

Um poema tecido para todas as prostitutas, que não  corroeram suas mentes atrás do que é doentio, quebradiço e asqueroso. Dedico meus versos a todas as damas que chamam de infelizes, mal- amadas, faladas… Mas não apodreceram deixando de serem amadas! Um poema tão puto quanto as putas, Envolvido em vergonhas, amor e flagelo… Vou indo……

PELE-Skin

Olho,  toco, cheiro minha pele…Não a reconheço mais. Os poros parecem gritar imperiosos e lúcidos… Os pelos insubordinados crescem insistentes nos lugares mais impróprios. O que querem de mim? Aceitação ou perdão? O desgaste é lento, misterioso e inquieto, porque não me dá sinais de um breve fim ou um momento de trégua,  para que possa me…

PAPEL COLORIDO-Colored paper

Feche os olhos agora … testemunhe as imagens que quiser! Deslize como barco, voe como cotovias… Corra muito, mas nem tanto! Veja o sol no espelho, cobrindo o céu de calor e vermelho, ele aquece, mas sábio que é não perde a cor. O meu  presente é ausente de versos,  mas presente de mim, um…

VAIDADE-Vanity

Pensando ser a situação nos tornamos apenas pregos, querendo tudo nas mãos, desprezamos as ?pistas deixadas nos ?dedos. Decoramos palcos, esquecendo a direção das luzes? iluminando os atores… É aí que a vaidade empobrece. Viramos a face esquerda, mas? expomos a direita,? quase sempre assustadora e selvagem, descemos do topo na sombra para não mostrar…

EM NOME DE QUEM?

? Não precisamos aceitar, Não precisamos permitir… Mas temos que temer: Que roubem  minhas conquistas, Que ceguem seus talentos, Que sequestrem nossos votos. Que tirem o meu sono, a sua voz. Não precisamos de alianças, Não precisamos de meias palavras… Mas temos que temer: Que nos vejam como inimigos, Que me julguem como tola, Que…