UM PASSO DE CADA VEZ

fotosvalores

Fazemos parte a vida dos surdos, nos comunicamos com eles, e não somos surdos.  Mas se nos comunicamos, significa que demos o primeiro passo.

Caminhamos nos desviando das cadeiras de rodas e andadores, e nunca fomos cadeirantes e talvez nunca tenhamos perdido nem mesmo o movimento de um dedinho do pé. Mas mesmo sentindo a coluna dolorida nos curvamos e entregamos a eles o que temos de melhor. Caminhamos mais um passo.

Conversamos com os cegos, e desconfiados, tentamos imaginar o que eles poderiam pensar se vissem a nossa pele manchada, a blusa que passamos as pressas ou os sapatos sem cor e sem brilho. Mas mesmo incertos oferecemos a eles o nosso braço e a nossa dúvida: Será que ele entendeu a minha aula de hoje? Essa dúvida nos jogou mais um passo a frente.

E aqueles retardados? Meu deus! Agora os chamam de deficientes intelectuais. O cara não lê, o cara não escreve, fala com dificuldade e quando sorri quase sempre mostra uma boca feia com uma arcada desdentada e torta. Mas quando nos avistam lá de longe, desengonçados saem de onde estão e te depositam no rosto um beijo todo babado, porque nós sim reconhecemos a importância que eles têm, e o grande desafio e esforço que superaram para estar aqui todos os dias. Se você aceitou o beijo e deixou a baba secar ou se correu até o banheiro e foi lavar não importa, retribuir aquele abraço foi mais um passo.

Quando na Reatech nos deparamos com cadeiras e carrões sofisticados adaptados com tecnologia de ponta, penso na cadeira de rodas dos nossos alunos…  Mas eles, os nossos alunos, estavam lá, sentindo-se importantes e iguais. Dando a nós educadores uma aula de vida e sobrevivência.

Ouvir dos alunos cegos que tudo aquilo era lindo me fez pensar sobre tudo que tenho e não vejo, tudo que vejo e não enxergo.

Neste final de semana as nossas aulas foram muito diferentes, porque cidadania e tolerância não se ensina em qualquer lugar… Mas precisamos nos unir e dar mais um passo, como se cada um saísse da ponta de um quadrado em direção ao centro, pois segundo Platão, o quadrado é um figura quase perfeita e é para essa perfeição que caminhamos, e certamente não chegaremos, pois perfeição não pode ser objetivo do ato de ensinar, mas pode ser a pretensão de quem deseja ser um ser uma pessoa melhor.

 

 

Anúncios

6 comentários sobre “UM PASSO DE CADA VEZ

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s